Televendas

(53) 3283-1117

(53) 3283-2530

Conheça os tipos de umidade e como evitá-los

umidade na parede é uma das patologias mais recorrentes em edificações. Pode causar sérias consequências à estrutura de uma construção, como vazamentos, infiltrações e manchas. Também compromete a salubridade do ambiente pela proliferação de fungos e bactérias. O problema se origina de diferentes maneiras, mas uma boa notícia é que existem práticas eficientes para preveni-lo durante a obra ou para combatê-lo em estabelecimentos já existentes. Fique por dentro!


Tipos de umidade, causas e soluções


umidade decorrente de intempéries geralmente ocorre pela água de chuva, que penetra nas fissuras da fachada. Daí a necessidade de fazer uma impermeabilização adequada – por exemplo, com sistemas de pintura flexíveis e duráveis – e de utilizar materiais que tenham pouca movimentação interna. Beirais, telhados e calhas devem ser bem projetados, de modo a proteger a fachada contra a exposição contínua de água.


Outro tipo comum é a umidade por condensação, quando o vapor de água do interior de um ambiente entra em contato com superfícies frias, como paredes, metais e vidros, e resulta no aparecimento de gotículas e bolor. Esse fenômeno está associado à falta de ventilação, principalmente em cozinhas e banheiros – daí a importância de apostar em esquadrias funcionais.


Já a umidade proveniente da infiltração atinge o interior de uma casa pelas paredes. Pode ser causada pelo escapamento de encanamentos, pela ausência de impermeabilização nas áreas úmidas ou pelo isolamento ineficaz de casas adjacentes. Também afeta ambientes enterrados, como subsolos – com isso, eles devem ser projetados com o lençol freático do lado de fora.


Há, ainda, a umidade ascendente por capilaridade. Ela surge nas áreas inferiores das paredes, que absorvem a água do solo pela fundação. Nesse caso, a parede está ligada com as vigas de fundação, ficando parcialmente enterrada e em contato com a superfície úmida. Como solução, recomenda-se isolar a parede com drenos, brita ou geotêxtil. É comum observar sótãos, estacionamentos e pisos térreos com este tipo de problema.


Dicas para tratar a umidade


Durante a construção, é essencial que a edificação seja concebida a partir de um bom projeto, tomando-se as devidas precauções para evitar a umidade. Geralmente, a patologia é consequência da falta de proteção das paredes e da impermeabilização deficiente em vigas baldrames e alicerces.


Em habitações já ocupadas, por sua vez, alguns cuidados são necessários, como limpar e lavar a parede que apresenta mofo com água sanitária; colocar pote de vidro com um punhado de sal em áreas fechadas, como armários; e pedir o auxílio de um especialista para aplicar impermeabilizantes em paredes internas ou para remover pintura e massa corrida em superfícies externas, para depois chapiscá-la e aplicar revestimento impermeabilizante.


Vale ressaltar que o mercado disponibiliza produtos adequados para tratar os diferentes tipos de umidade, como tintas antimofo para paredes e teto; tintas impermeabilizantes; argamassas especiais de alta aderência e rápida secagem; borrachas de silicone ou de poliuretano para vedação de cerâmica, metal, vidro, plástico, madeira, concreto e gesso; mantas asfálticas; e impermeabilizantes cristalizantes, especialmente para aplicação em alicerces e vigas baldrames.


Fonte:  www.mapadaobra.com.br


+ Novidades